Segundo Acampamento dos atingidos

Em fevereiro de 1983 o Movimento de Atingidos vai realizar uma grande reunião de todas as comissões (17 a 20 de fevereiro) para avaliar os passos dados até o momento e propor alternativas para continuar com a luta. Produto daquele encontro, as Comissões de Expropriados encaminham um oficio à Eletronorte no dia 22 de fevereiro (DOC. 8/1983) no qual exigem o cumprimento imediato de duas reivindicações: por uma parte, os expropriados reclamam uma resposta da empresa em relação à suplementação da indenização pelo tempo proibido de plantar.

O tempo foi passando e o ofício de fevereiro não era respondido pela Eletronorte. Isto motivou que um grupo de moradores de Mojú decidiram acampar novamente no pátio do SPI, a princípios de abril de 1983, exigindo um pronunciamento da Eletronorte em relação às reivindicações ainda não atendidas. No princípio eram umas 60 pessoas de Mojú que estavam acampadas no pátio do SPI. Mas, com o passar dos dias a notícia do acampamento foi se espalhando pela região, com o qual muitos lavradores insatisfeitos chegaram até o local. Já para o dia 11 de abril o número de acampados atingia as 800 pessoas. Na tarde do dia 14 de abril o acampamento foi engrossado com a presença de centenas de expropriados que chegavam de todas as partes: de Itupiranga, de Jacundá, de Repartimento, na esperança de acompanhar a reunião com a Eletronorte marcada para o dia 15 de abril (DOC. 9/1983). Para o final do dia o número de acampados alcançou o número de 2000 trabalhadores nos arredores do pátio do SPI.

Todas as fotos são do acervo pessoal da ex-assessora do Movimento Aida Maria da Silva.

 

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo
%d blogueiros gostam disto: